Porto de Suape eleva movimentações no primeiro semestre deste ano

Porto de Suape eleva movimentações no primeiro semestre deste ano
Porto de Suape fechou o primeiro semestre com crescimento de 5% em relação ao primeiro semestre do ano passado.
Fonte: Eduarda Barbosa, da Folha de Pernambuco em 16/08/18.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

“O primeiro semestre deste ano apresentou um saldo positivo para a movimentação de cargas no Porto de Suape. De janeiro a junho, o terminal movimentou 11.362.250 toneladas, o que representou um crescimento de 5% em relação ao primeiro semestre do ano passado. O balanço foi divulgado no dia em que o porto sediou o 27º Encontro dos Portos Organizados, evento feito anualmente pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

O encontro tratou do sistema de desempenho dos portos nacionais, incluindo os públicos e os privados. De acordo com o superintendente de Performance, Desenvolvimento e Sustentabilidade da Antaq, Samuel Cavalcanti, a reunião anual serve para apresentar estatísticas importantes do setor. “Autoridades portuárias se reúnem para estudar a movimentação dos portos, tirar dúvidas e esclarecimentos em relação aos dados portuários nacionais. Essas informações são importantes para melhorar o desempenho nos terminais”, explicou Cavalcanti.

Durante o evento, foram apresentados os dados atualizados do Estatístico Aquaviário da Antaq. No primeiro semestre deste ano, os portos brasileiros movimentaram 528.101.307 toneladas, um crescimento de 0,66% em relação ao mesmo período de 2017. “No que pese a crise atual, o setor aquaviário apresenta uma movimentação em aumento, principalmente devido aos investimentos de segmentos privados”, disse Cavalcanti”.

Turquia dobra tarifas sobre alguns produtos dos EUA; lira se recupera

Turquia dobra tarifas sobre alguns produtos dos EUA; lira se recupera
Fonte: Reuters via Yahoo Notícias, 15 de agosto de 2018.

Foto: Reuters/Umit Bektas (Divulgação).

Foto: Reuters/Umit Bektas (Divulgação).

“ISTAMBUL (Reuters) – A Turquia dobrou as tarifas sobre algumas importações norte-americanas, incluindo álcool, carros e tabaco, nesta quarta-feira, em retaliação aos movimentos dos Estados Unidos, mas a lira se recuperava depois que as medidas de liquidez do banco central tiveram o efeito de sustentar a moeda.

Um decreto assinado pelo presidente Tayyip Erdogan dobrou as tarifas turcas de carros de passageiros para 120 por cento, de bebidas alcoólicas para 140 por cento e de fumo para 60 por cento. As tarifas também foram duplicadas em bens como cosméticos, arroz e carvão.

O movimento veio em resposta aos “ataques deliberados do governo norte-americano em nossa economia”, escreveu o vice-presidente, Fuat Oktay, no Twitter. Na sexta-feira passada, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que autorizou tarifas mais altas sobre as importações de alumínio e aço da Turquia.

Ancara agiu em meio ao aumento da tensão entre os dois países sobre a detenção de um pastor norte-americano e outras questões diplomáticas na Turquia, que ajudaram a levar a lira a uma queda recorde em relação ao dólar.

A moeda perdeu mais de 40 por cento em relação ao dólar este ano, impulsionada pelas preocupações com a crescente influência de Erdogan sobre a economia e suas repetidas solicitações por taxas de juros mais baixas, apesar da alta inflação.

A recuperação nesta sessão, fortalecendo a lira brevemente para menos de 6,0 contra o dólar, veio depois que o banco central apertou a liquidez no mercado, aumentando efetivamente as taxas e apoiando a moeda.

O otimismo em relação às melhores relações com a União Européia depois que um tribunal turco liberou dois soldados gregos que aguardavam julgamento e um passo da vigilância do setor bancário para limitar as transações de swap cambial também ajudava a lira.

“Eles estão tirando liquidez de lira agora e elevando as taxas de juros”, disse o diretor de estratégia de mercados emergentes da TD Securities, Cristian Maggio.

“As taxas subiram 10 por cento… O banco central não fez isso através da mudança nas taxas de referência, mas elas estão reduzindo a liquidez, então o resultado é o mesmo”, acrescentou”.

CNA participa de Encontro Nacional de Comércio Exterior no Rio

CNA participa de Encontro Nacional de Comércio Exterior no Rio
Fonte: Assessoria de Comunicação CNA/SENAR, 15/08/2018.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

“Brasília (15/08/2018) – O presidente da Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca do Rio de Janeiro (Faerj) e vice-presidente da CNA, Rodolfo Tavares, disse, na abertura do Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), que a obrigatoriedade do tabelamento do frete acarreta perda de competitividade para o setor produtivo.

O evento, promovido pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), acontece no Rio e reúne representantes do governo e iniciativa privada para discutir a conjuntura do comércio internacional no Brasil e no mundo.

Tavares afirmou que o tabelamento do frete rodoviário tem elevado os custos em 40% no transporte por caminhões e alertou para as consequências e os riscos futuros da medida. A CNA foi ao Supremo Tribunal Federal (STF) com uma ação contra a medida.

“São observados reajustes de preços significativos nos produtos essenciais à sobrevivência da população brasileira, como é o caso da cesta básica. A tendência, caso a obrigatoriedade da tabela não seja declarada inconstitucional pelo Supremo, é a redução da produção agropecuária e do volume de exportações”.

Para a assessora técnica da CNA Elisangela Pereira Lopes, que também participa do evento, “as relações do Brasil com o comércio exterior ficam prejudicadas com a insegurança provocada pela obrigatoriedade do tabelamento”.

“Chegar ao mercado internacional com produtos competitivos exige ações que promovam a redução dos custos de transportes. Com a tabela, o governo age na contramão do desenvolvimento do país e onera o setor agropecuário, aliado fundamental para manter o superávit da balança comercial. E pior, sobrecarrega cada cidadão com o aumento de alimentos e consequente perda de renda familiar”, disse.

Comércio – Em seu discurso, Tavares destacou a participação do agro brasileiro no mercado mundial em produtos como carne bovina, carne de frango, açúcar, café, soja e suco de laranja, que fazem do país o terceiro maior exportador agrícola do mundo, atrás apenas de União Europeia e Estados Unidos.

Entretanto, ressaltou que o país pode ter mais avanços no comércio mundial a partir das negociações em andamento com outros países e blocos em busca de mais mercados para produtos do agro, como a Coreia do Sul e União Europeia.

O representante da CNA disse, também, que a logística é fator preponderante para a competitividade brasileira, pois o agro é invencível da porteira pra dentro, mas vulnerável fora dela. “A questão fundamental é como promover custos de transportes menores, que resultem em ganhos – produtos mais baratos – para a sociedade, brasileira e global?”.

ANTAQ participa do 6º Fórum Lide de Infraestrutura, Logística e Mobilidade

ANTAQ participa do 6º Fórum Lide de Infraestrutura, Logística e Mobilidade
Em São Paulo, o diretor-geral da Agência falou sobre a necessidade de retirar os inibidores de investimentos para assegurar o crescimento da infraestrutura do país.
Fonte: ANTAQ, 15 de agosto de 2018.

Foto: CCS/ARI/ANTAQ (Divulgação).

Foto: CCS/ARI/ANTAQ (Divulgação).

“O diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários – ANTAQ, Mário Povia, participou na última terça-feira (14) do 6º Fórum Lide de Infraestrutura, Logística e Mobilidade, realizado em São Paulo (SP). O evento reuniu os principais líderes empresariais, especialistas e autoridades públicas num amplo debate sobre soluções logísticas para melhorar a competitividade do país. Povia representou a Agência no painel “Como fomentar um ambiente de negócios favorável para a atracação de investimentos”.

Na oportunidade, Povia apontou alguns inibidores de investimentos em infraestrutura como a insegurança jurídica, a instabilidade regulatória, burocracia excessiva, indefinição da matriz de risco, baixas taxas de retorno e garantias elevadas.

Na visão do diretor, tais fatores prejudicam o setor e afastam novos investimentos. Povia destacou, ainda, a dificuldade atualmente enfrentada pelos gestores públicos na tomada de decisão, fazendo menção à sobreposição de competências e interferências de diversos órgãos da administração pública, o que tem prejudicado a dinâmica da aprovação e liberação de investimentos em infraestrutura, com o risco de se gerar o que intitulou de “apagão das canetas”.

“Nosso intuito é viabilizar investimentos indispensáveis ao crescimento e desenvolvimento do país. Do contrário, se prevalecerem esses impasses, nenhum projeto greenfield de infraestrutura sairá do papel”, destacou o diretor-geral.

O dirigente informou também que a ANTAQ tem trabalhado fortemente junto ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil – MTPA para colocar na agenda do governo ações de incentivo à navegação de cabotagem e à concessão ou PPPs das hidrovias brasileiras.

Além do diretor-geral da ANTAQ, o Fórum contou com a presença dos principais atores dos setores do transporte aquaviário, ferroviário e aéreo, além de energia, logística, finanças e mobilidade como: Dyogo Oliveira, presidente do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); Antonio Pinheiro Silveira, vice-presidente Corporativo do CAF; Sérgio Leite Andrade, presidente da Usiminas; Julio Fontana Neto, presidente da Rumo Logística; Leonardo Vianna, presidente da CCR; e Antônio Claret de Oliveira, presidente da Infraero. Os painéis foram conduzidos por Luiz Fernando Furlan, chairman do LIDE, e a moderação dos debates ficou a cargo de Gustavo Ene”.

Time Log Agenciamentos lança nova logo e um vídeo apresentando sua nova casa

praemail

Desde a criação da nossa empresa, a Time Log Agenciamentos vem se modernizando. Agora, para celebrar a nossa nova casa, passamos por um processo de rebranding da marca. Convidamos você, para acessar as nossas redes sociais FacebookInstagramLinkedIn e Twitter, e assistir ao vídeo (versão português e inglês).

A Time Log sente-se realizada por fazer parte de um grupo seleto de empresas na qual busca excelência em seu atendimento e agilidade na prestação de serviço.

Venha ser um cliente TIME LOG!

Nova casa.

Nova logo.

A mesma dedicação, qualidade e expertise!

We take care of your business in your time.
www.timelognet.com

Porto Açu recebe pela primeira vez conselho e assembleia da ATP

Porto Açu recebe pela primeira vez conselho e assembleia da ATP
Fonte: Joana Wightman, Coordenação de Comunicação ATP, com informações da assessoria de imprensa do Porto do Açu, 14 de agosto de 2018.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

“Mais de 20 membros da Associação de Terminais Portuários Privados (ATP) se reuniram pela primeira vez no Porto do Açu, no Norte Fluminense, para discutir assuntos de relevância para o setor. A 33ª Reunião do Conselho Diretor e a 29ª Assembleia Geral Extraordinária da ATP foram realizadas nesta segunda-feira (13) em Campos dos Goytacazes. Na manhã de hoje, os participantes tiveram a oportunidade de visitar o complexo portuário do Porto do Açu, que fica em São João da Barra, próximo a Campos.

O encontro contou com representantes dos mais importantes portos privados do Brasil, como Itapoá, Pontal, Portocel e Portonave, além de ArcelorMittal, Braskem, Gerdau, Hidrovias do Brasil, Samarco, Ternium, Transpetro, Usiminas e Vale. O grupo, representado pela associação, responde por 60% do total de cargas movimentadas nos portos brasileiros em 2017 e gera, atualmente, 47 mil empregos diretos e indiretos.

Para o diretor-presidente da ATP, Murillo Barbosa, a infraestrutura portuária do Brasil já está em pleno funcionamento, mas a intermodalidade para escoamento da produção ainda é um gargalo e uma das principais pautas de discussão do setor. “Os nossos números provam que o setor portuário precisa ser reconhecido como estratégico para a recuperação da economia brasileira. Para isso, é imprescindível o investimento robusto em acessibilidade, que otimize a conexão entre os portos e as empresas que exploram suas instalações”, ressaltou.

Durante a visita ao Complexo Portuário do Açu, os membros da ATP conheceram o Terminal de Minério de Ferro, o Terminal Multicargas (T-MULT) e a área onde ficam instaladas as empresas clientes da Porto do Açu. O grupo ainda realizou uma visita técnica de lancha ao longo do Terminal 2 (T2 – Onshore) e pode acompanhar, no Terminal de Petróleo (T-OIL), a atracação do 4º navio classe VLCC (Very Large Crude Carrier) recebido pela Açu Petróleo, um dos maiores do mundo.

O gerente de Relações Institucionais da Porto do Açu, Caio Cunha, destacou que a ideia de promover o encontro da ATP no complexo portuário foi importante para apresentar o porto aos maiores terminais privados do país e para fomentar uma troca de boas práticas e parcerias estratégicas. “É com muita satisfação que recebemos a ATP no Porto do Açu. Tivemos a oportunidade de mostrar toda a nossa infraestrutura, os terminais em operação e os projetos em desenvolvimento. A sinergia entre nós, membros da associação, é fundamental para que consigamos, junto ao poder público, reduzir os gargalos logísticos, defender nossos interesses e alcançar as soluções que promovam o desenvolvimento sustentável do setor portuário brasileiro”, pontuou”.